A cada dia estamos cada vez mais conectados. Se olharmos em nossa volta, veremos pessoas com a cabeça baixa atentas ao que estão visualizando na tela do smartphone. Segundo uma pesquisa divulgada recentemente pela Millward Brown Brasil, constatou que o brasileiro passa em média 3h14min navegando pelo celular diariamente, e a geração Millennials está na média de 4h diária de acesso à internet.

Em 2017, um terço da população mundial já está conectada nas redes sociais, ou seja, 2,46 bilhões de pessoas, de acordo com um levantamento recente do eMarketer. Levando em comparação com 2016, representa um crescimento de 8,2%. Para 2021, a previsão é de 3,02 bilhões de pessoas em todo mundo utilizem as redes sociais.

Um dos principais motivos para que a adesão às redes sociais tenha crescido, é que devido a expansão da cobertura de internet móvel, mais pessoas obteram acesso à internet via smartphones. Em 2017, cerca de 81,8% dos usuários das redes sociais realizam o acesso via celular e, para daqui a quatro anos, esse percentual suba para 86,7%.

Esse estudo do eMarketer não levou em consideração o aplicativo Snapchat, por exemplo, porque, para eles, não é exatamente uma rede social, mas, sim, um aplicativo de mensagens, por motivo que acabaram incluindo recursos destes app no Facebook e Instagram para vencer na corrida de preferência dos usuários. Devido a oferta de conteúdos em vídeo e a possibilidade de realizar transmissões ao vivo, essas redes sociais saíram na frente na conquista de mais usuários e reforçar ainda mais o seu uso.

Além disso, nessa pesquisa foi concluída que a maior parte do número de usuários das redes sociais se deu através de diversas ofertas de smartphones, em que há diversas opções de aparelhos móveis por preços baratos no mercado, com cobertura Wi-Fi acessível e expansão das redes de 3G e 4G. Esses fatores foram cruciais nos geradores de crescimento de novos usuários nas redes sociais, principalmente na Ásia, América Latina, África e Oriente Médio.