O LinkedIn é uma rede social que começou reunindo perfis profissionais há mais de 15 anos. No início, seus usuários eram poucos e seu propósito era basicamente a troca de currículos, mas após sua compra pela Microsoft, a rede passou por reformulações e viu seu número de contas crescer exponencialmente. Hoje, o LinkedIn tem mais de 500 milhões de usuários e é a plataforma de relacionamentos profissionais mais popular da atualidade, abrindo inúmeras possibilidades de negócios B2B.

Assim como no Facebook, não é indicado que sua empresa atue no LinkedIn com um perfil pessoal. A rede tem o recurso Company Page, que é a melhor maneira de representar o seu negócio nesse universo. Através delas, marcas conseguem fomentar redes de relacionamentos segmentadas, ou seja, atraem pessoas que realmente têm um interesse comercial nos seus produtos. Para muitas empresas que não lidam diretamente com o consumidor final, o LinkedIn pode ser a ferramenta mais importante entre redes sociais.

Vamos supor que seu produto seja a venda de um software para contabilidades de médio porte, de que forma seria a atuação ideal no LinkedIn?

  • Produza conteúdo original voltado para os profissionais que possam estar em busca do seu serviço, como um texto sobre como solucionar determinados problemas através do seu software; 
  • Crie conexões, através do seu perfil pessoal e de seus funcionários, com profissionais da área, para que passem a conhecer sua empresa;
  • Participe de grupos sobre contabilidade e softwares, entre em debates e faça com que sua empresa seja notada pelos seus consumidores em potencial.

Através da rede, também é possível investir na divulgação direcionada do seu negócio, são os links patrocinados do LinkedIn. A diferença para as outras redes é a possibilidade de atingir públicos muito específicos, que têm chances muito maior de fecharem negócio com você. Como a rede social é voltada para perfis profissionais, as pessoas preenchem seus dados com a empresa em que trabalham, o seu tamanho, a área que atuam e até o seu cargo e responsabilidades. Ou seja, você pode direcionar seu produto especificamente para usuários que têm o poder de decidir se vão adquiri-lo ou não. No caso do software, você poderia mostrar seu anúncio para CEOs e gerentes de TI que trabalham em contabilidades de médio porte. Dessa forma, seu investimento não seria desperdiçado, por exemplo, na timeline de alguém do marketing de uma grande corporação.